11 de abril de 2011

Aniversariando

Aniversário é uma palavra latina que significa "aquilo que volta todos os anos". Anniversarius vem de annus (ano) e vertere (voltar), ou seja, aquilo que se faz ou que volta todos os anos.




Um momento especial de renovação para meu espírito, porque Deus, na sua infinita sabedoria, deu à natureza, a capacidade de desabrochar a cada nova estação e a min (nós) a capacidade de recomeçar a cada ano.

Fazer Aniversário é amadurecer um pouco mais e olhar a vida como uma dádiva de Deus.

É ser grato, reconhecido, forte, destemido.

É ser rima, é ser verso, é ver Deus no universo.

Época em que trago no peito profundas saudades, como de uma infância tranquila e sem muitas responsabilidades.

Tempos bons em que juntava todos os meus bonequinhos para ir brincar no quintal com o vizinho. Um sempre saía machucado, mas isso era mania de querer ser algum herói do momento, ou mesmo vilão.

Dia no qual retornam a minha mente lembranças de situações que não voltam mais, como o bom dia do meu pai já falecido. Mesmo crendo que ele esteja aqui comigo, pois somos imortais, o meu ser sente falta.

Não que seja esta uma data para recomeçar. Pois isto devemos fazer a todo o segundo. Mas é um dia que sim, nos trás uma sensação de mais uma chance, afinal além de termos que agradecer sempre por mais um dia de vida, a mais um ano então nem se fala.

Temos que ter orgulho de nós mesmos, e tenho muito de min.

Não vim aqui falar da minha vida, isto exigiria mais que uma eternidade, mesmo estando eu apenas com estes meros 25 anos de idade completados hoje.

Vim falar justamente disso, do que é aniversariar, nos meus sentimentos, no meu íntimo.

É um dia no qual me emociono facilmente, lembro de pessoas esquecidas em dias habituais. De situações vividas na infância. Fico com mais vontade de sentir profundamente o cheiro dos que me abraçam.

Como se esta data fosse uma segunda feira gigante, tudo parece ser novo. Afinal não deixamos quase tudo pra segunda feira?

Nossa e como fico feliz com a aparição de pessoas que jamais esperava.

Fato é que hoje meu aniversário, enxergo com profundo orgulho o que venho me tornando, hoje simbolicamente comemoro o marco inicial do meu nascimento terreno e uma nova chance para evolução de min mesmo (meu espírito) nesta vida.

E o lado humano, que dureza lutar contra.
Mas confesso! Sempre espero lá naquele íntimo imperfeito a lembrancinha (presente mesmo) de alguém, dos mais próximos claro. Um desejo que se extingue a cada segundo.

Valorizo mesmo as boas energias, as preces, orações, rezas, seja como preferir a quem estiver emanando a mim sentimentos de paz e luz. Olho para trás e vejo; nada foi em vão, nenhuma derrota, nenhum erro cometido, nenhuma palavra proferida (abençoada ou maldita).

Algo que acredito é que os erros devem manter-se aliados apenas no instante em que não temos um melhor discernimento, avançar na idade é ter que deixar as ignorâncias de lado. Ficaria triste em chegar à velhice e ver que ainda, por exemplo, tenho muito a flor da pele alguns destes sentimentos nada altruístas, cada um sabe melhor dos seus.

Tudo fez e fará parte da minha caminhada.

Essa idade tão fugaz na vida da gente chama-se presente e tem a duração do instante que passa.

Li um texto sobre o mesmo assunto, aniversariando, e nele as frases se tornavam todas perguntas. E aniversariar não é perguntar o porquê disso ou daquilo, é sentir cada respiração como única e viver ao invés de apenas existir.

Bem meus queridos, foi apenas uma forma de expressar a gratidão por todos os participantes, seja por um segundo, de cada um na minha trajetória e nos meus aniversários.

Os amigos, os amores perdidos, os amores reencontrados e deixados, o amor atual, os amantes do passado, a família, os colegas, os ex-patrões, etc. São todos experiências de uma vida que venho construindo com muito prazer e satisfação.

Nada seria este aniversário, se tivesse sido eu no passado totalmente ao contrário do que sou hoje.

Aniversariando assim deste jeito, repleto de maior sabedoria e amor, vejo o quanto sou feliz.

Que a todos possa alcançar a graça do recomeço e a verdade de que a morte não é o fim. Sempre tinha a mania de dizer que não era mais um ano de vida e sim menos um. Hoje com tamanha certeza afirmo que sim, é mais um dia, pois a morte existe apenas para os que crêem.

Luz e paz a todos.

Qual seria a sua idade se você não soubesse quantos anos tem?


Um comentário:

  1. Os celtas entendiam o tempo como um ciclo, comparado com as estações do ano. Primavera, o nascimento, é o momento em que tudo começa ou se renova. Verão, o crescimento, é o momento em que tudo se desenvolve, é luminoso e de uma cor aberrante. Outono, o amadurecimento, em que todas as coisas ganham um ar nostalgico e aprendem com o passado. E, finalmente, Inverno, a morte, onde tudo o que foi é relembrado e fecha-se a conta da vida para verificar se o saldo foi positivo ou não, de uma cor melancólica, mas tão importante como toda a qualquer cor. É assim que eu vejo o ciclo de um ano que também pode se estender para o ciclo da vida, de uma tarefa, de muitas coisas que podem ser encaradas como ciclos. Hoje, na primavera de seu ano, vejo todo o desabrochar da vida, que venha, portanto, o verão, o outono e o inverno, e que nele morra todas as coisas que quer retirar do seu ser pelo aprendizado que a vida se tornou.

    ResponderExcluir