9 de abril de 2011

E(le)u

Dos versos simples que vem da música,
com sublime energia se enche a alma.
De mil maneiras a interpretar,
de várias formas a sentir.

Tinge o seu eu.
De azul tão calmo e majestoso.
Ao bater de suas asas,
asas femininas.

Mente sem pés,
em torno de suas várias crenças.
Feliz ao enxergar.

Ao toque da última melodia.
Suas preces ao altar,
um muito obrigado.

Um comentário:

  1. A simplicidade é a própria música da vida. Não há razão para ser mais do que simples! É ali que encontramos o azul... essa cor que enche a vida de simplicidade.

    ResponderExcluir