28 de junho de 2012

Desenho, Sem Título, Papel A4 60 kg (120g/m² 210mm x 297mm)
Nanquim.

26 de junho de 2012





Desenho, Sem Título, Papel A4 (75g/m² 210mm x 297mm)
Lápis grafite.



Fantasmas
Malditócios
da Mente
Doente — Sadia
Sopram
Gritam
Insistem
São?

Desenho, Sem Título, Papel A4 60 kg (120g/m² 210mm x 297mm)
Caneta nanquim.

18 de junho de 2012

(des)ordem

para alguns
viver
é morrer
no sentido poético
do acontecimento






ou não

16 de junho de 2012

Ali. Voltando.









Oh, dor
Encha meu corpo de arrepios
O faz sorrir enquanto m’alma chora
Bonito




9 de junho de 2012

Céu 17: Everlyn em "Escrevemos para sermos Amados"

Everlyn Barbin (lê)screve:

24ª Epístola — Ausente talvez por vir

Em algum momento na madrugada do dia 17 de fevereiro de 2005, Gilberto ou Gilberta Ilda, vedou completamente a janela e a porta do seu quarto, colocou um livro aberto sobre a escrivaninha. Em seguida, após ter ligado a impressora do computador, despejou álcool e gasolina por todo o cômodo e no seu próprio corpo, sentou, deixou alguns papéis saírem impressos da máquina e então acendeu um cigarro. No dia 20 de janeiro Gilberto/Gilberta Ilda foi enterrada no cemitério do Bonfim na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais. E em sua lápide de bronze lê-se a seguinte inscrição:

‘’Sob a escultura em mármore branco de um Hermafroditos dormindo: escrevemos para sermos amados.’’

...

Sinto fortes dores quando te escrevo!
Façamos com que a morte de nosso amor seja mais serena!

...

Peço-te um pouco de atenção...

...

A geografia que hora te escrevo trás tua visão quase mítica, talvez apofânica como a do Corpus Christi no momento da elevação. Esta carta tem o gemido do mar que parece a voz mesma da noite, como se o tempo tivesse uma única voz que a fizesse ouvir num só ponto da terra. Aqui, no espaço entre eu e você, por estas páginas manuscritas.

...

O amor de minha alma é maior que o medo...

...

Meu coração disparou como Vesúvio em plena ativação vulcânica. As verdades que tenho que te contar nesta carta trás uma emoção que facilmente nos fará chorar de tão meiga emoção. É por que vou escrever nosso contrato e pacto de amor. Tenho que te contar minha situação atual com relação aos vários aspectos de minha vida. Seja o aspecto profissional, o financeiro, o acadêmico e o sentimental. Tudo isso por que eu quero um dia casar com você, entenda casar no sentido forte do verbo. Acho que você me completaria por inteira. Acho que estou pantônica demais, sou também uma filosofante. Espermar, eis o verbo que já aprendi contigo. Vamos discutir tudo, ok? Fica calmo que tudo vai dar certo entre nós, nossa história de amor não virará apenas palavras ao vento, mas, tornar-se-á realidade de fatos notórios. Acredito nisto, que tudo eu faço para que nosso amor aconteça, nunca posso te trazer o mal, sou um anjo que apareceu na tua vida como um deus hermafrodito e você é meu deus. Por isso, torno minhas, palavras de Dom Quixote: ‘’Louco sou e louco devo ser’’...

Transcrição: lucas repetto 

***



Fragmento:

O Céu Sobre os Ombros
71min | 35mm | cor | 2010
Direção: Sérgio Borges
Elenco: Everlyn Barbin, Edjucu Moio, Murari Krishna e Grace Passô





8 de junho de 2012

Desenho, Sem Título, Papel A4 60 kg (120g/m² 210mm x 297mm)
Giz pastel oleoso e lápis de cor.

Desenho, Sem Título, Papel A4 60 kg (120g/m² 210mm x 297mm)
Lápis grafite.

6 de junho de 2012

Querid’alma



I

Numa noite qualquer descobri,

Que no amor pode-se ser como

Cristo,

Pecado

Ou Maria de Magdala apedrejada.

II

Eis que surge o sol e junto uma caravana que trás consigo o leite e o sal.

Para que vieres, 

Oh dor?

Para ausentar-me de mim mesmo, 

Deixar-te sentir cru sentimento tão pleno.





2 de junho de 2012

(nascend)(m)(o)(rrendo)

lucas repetto



Esconde-se no simples algo que me atraí mais do que qualquer grandiosidade. Talvez nem se esconda!